Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas do Chão Salgado

resistir e criar, por mais que nos salguem o chão dos dias | crónicas, poesia, leituras e agenda de imperdíveis por aí | nada disto é biográfico, que não sou mais que um instante no mesmo pensamento.

Crónicas do Chão Salgado

resistir e criar, por mais que nos salguem o chão dos dias | crónicas, poesia, leituras e agenda de imperdíveis por aí | nada disto é biográfico, que não sou mais que um instante no mesmo pensamento.

um sábado como qualquer outro

395ACCA5-21B3-4508-9A43-C94B553DEC7F.jpeg

Amanhece-me o dia como de habitual, com o sol entrando pela janela.
Preguiça boa, esta de sábado...
Lembro-me que estamos de novo presos em casa, e preparo-me para a quietude dos dias. Dos fins-de-semana, pelo menos.
 
Quietude?
O trânsito da marginal de Cascais não pára.
Rolam os carros como noutro sábado qualquer.
 
Que não haja ilusões, isto não é um confinamento.
 
Vou continuar o meu livro até à hora de alguém cá de casa ir buscar o almoço, já encomendado para take-away.
É das poucas formas que posso ajudar, para que se vão mantendo à tona os que são o elo mais fraco desta cadeia.
 
Eles são só os primeiros, a seguir virão os outros e vai chegar a vez de todos, menos dos senhores do mundo. Esses, cada vez melhor.
 
E aqui, fechados como nêsperas, ficamos a ver como levam um vizinho após o outro, até entrarem na nossa casa.
 
 
 
 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Eu Sou Membro