Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas do Chão Salgado

resistir e criar, por mais que nos salguem o chão dos dias | crónicas, memoirs, leituras e imperdíveis por aí

Crónicas do Chão Salgado

resistir e criar, por mais que nos salguem o chão dos dias | crónicas, memoirs, leituras e imperdíveis por aí

o luto de elias gro

9EFB03E0-A3A1-4656-9F06-AB95C1F4F2FC.jpeg


O luto de Elias Gro é, dos últimos anos, o livro de que mais me apropriei emocionalmente, que mais me disse "tu és o tipo de pessoa para quem fui escrito".
 
Li-o pela primeira vez há uns anos, com a vida seguida de um ponto de interrogação, mas a alma cheia de um amor tão grande que me fazia acordar feliz todos os dias.
 
Volto a ele sempre que preciso de algo que me dê a mão na viajem que, por vezes, temos que fazer dentro de nós próprios.
 
Ou quando quero viver a minha melancolia, sem ter que pedir desculpas por não estar a esforçar-me por encontrar algo de bom em algo que quero ver como mau. Porque há coisas que são más.
 
Mas este livro é maravilhoso, as viagens humanas que nele se fazem são avassaladoras, e preenchem todos os buracos da alma onde deviam existir emoções que se foram, pela falta de coragem de serem vividas.
 
Acima de tudo, legitima a minha tristeza. Que dá sentido à beleza do sol que vai nascer em direção à minha janela, amanhã.
 

Foto: o exemplo de como não tirar fotos quando já estamos preparados para uma noite de leitura...
 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    concha 12.01.2021

    Uma boa semana e excelente leitura! :)
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.