Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas do Chão Salgado

resistir e criar, por mais que nos salguem o chão dos dias | crónicas, poesia, leituras e agenda de imperdíveis por aí | nada disto é biográfico, que não sou mais que um instante no mesmo pensamento.

Crónicas do Chão Salgado

resistir e criar, por mais que nos salguem o chão dos dias | crónicas, poesia, leituras e agenda de imperdíveis por aí | nada disto é biográfico, que não sou mais que um instante no mesmo pensamento.

a indefinição dos dias

2CF5D7A4-4105-4564-A54A-D517DE27B6C4.jpeg

 

Desinfetamos as nossas mesas. Abro as janelas para a sala arejar no intervalo. Deixo-a como entrei: gelada e de coração apertado.
 
Entro no trânsito da Marginal. O mar está calmo, com um tom neutro que se cola ao céu, indefinido como os dias.
 
Em casa, procuro algo algo que me conforte, mas só o corpo aquece. Tento bordar, desenhar, escrever. Não consigo, estou enclausurada na interrogação do que vai ser dos dias naquela que é a minha segunda casa.
 
O sentimento é de uma imensa frustração. Ir para casa, ensinar on-line é brincar com o conhecimento, que já é tão desrespeitado, desprezado e achincalhado. 
Os miúdos, aqueles que precisam de boas notas, com exames finais de secundário, estão assustados.
Os alunos do Profissional, não têm quem os receba para estágio.
 
Estou cansada. Triste.
A saúde é mais importante, digo para mim. Que aconteça o que for melhor para combater esta pandemia.
 
Não venham é, no final, falar de sucesso.
A saúde é o mais importante, repito para mim, como um mantra...
 
 
 
 

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Eu Sou Membro